NÃO DESEJE FELIZ ANO NOVO

 

Hoje foi um daqueles dias em que acordei com a corda toda. Sangue-nos-olhos, sabe?

Voltei ao trabalho no dia 02 de janeiro com várias ideias, várias coisas para resolver, contratos novos para sair e trabalhos para serem iniciados. Mas nada, muitas propostas na rua mas quem pôde, adiou os planos.

Sabe como é, né?

Janeiro é mês de férias (mesmo que não sejam as suas), muito calor (tudo bem que o verão deste ano nem foi dos mais quentes) e mês do descanso do final do ano (dezembro é um mês muito corrido, sabe?).

Fevereiro, todo mundo sabe, é o mês do Carnaval. Desculpa perfeita (ops, motivo perfeito) para praticamente não se resolver NADA. Mesmo que você não vá viajar ou que só tenha folga de sábado à quarta (até 12h), não adianta começar nada antes do carnaval para depois parar e ter que praticamente recomeçar, vai…

Mas eis que finalmente acordo hoje e PÁ : Ano Novo!

 

Acordei tão feliz que postei nas minhas redes sociais , toda animada, o seguinte:

 

Fiz meu pilates às 07:15 da manhã, dei um beijo no pequeno e fui pro escritório.

Na fila do elevador, uma pessoa conversando com o segurança: “– Quando é a Copa mesmo? Julho? Nossa, como será que vai ser, hein?!

Já dentro do elevador, outra pessoa puxa conversa comigo: “Agora sim o ano começou, né? Acabou o carnaval!”.

Dei um risinho amarelo, mas minha vontade era responder: “– ACORDA, minha filha !!! Já começou faz tempo!!! Sua vida é TODO DIA. Já deve estar atrasada em um um monte de coisa e agora tudo vai pular no seu colo de uma vez e você vai usar isso como mais uma desculpa para justificar a sua improdutividade, como nada dá certo e como você não consegue progredir na sua vida (pessoal e profissional).”

Não estou julgando essa moça e nem a anterior que já está ansiosa para a Copa. Nem as conheço, mas só quis exemplificar os comportamentos acima para dizer que, na minha opinião, eles só servem para DESANIMAR o outro, ajudar a dar aquela desculpinha que o outro está precisando para postergar mais um pouquinho, ceder à preguiça e ficar pendurado no celular ao invés de fazer as coisas acontecerem.

Conheço um monte de gente que fala esse tipo de frase e que tem esse comportamento. O que diferencia é a intensidade que isso acontece na vida de cada uma das pessoas.

Ser assim de vez em quando é OK, afinal não somos a mulher-maravilha nem o super-homem (e até acho que temos que nos permitir viver alguns dias de desânimo).O que não dá é deixar esse tipo de pensamento para baixo contaminar sua vida de uma maneira tão automática que você nem sabe mais de onde vem a sua fala e deixa o conforto das desculpas atrasarem sua vida.

Não ia me manifestar mais hoje além da minha postagem da manhã, mas depois desses 2 minutos de elevador, não me contive.

Enfim, FELIZ ANO NOVO !!

Eu aqui te incomodando de novo. Mas como já falei no post anterior (http://www.cmente.com.br/os-primeiros-erros-de-um-advogado-iniciante/), a ideia é esta mesmo.

Até a próxima!

Se quiser me manda um email para contato@cmente.com.br , quero saber o que você pensa.

Sócia na Ribeiro da Luz Advogados Fundadora da CMENTE Incubadora & Coworking de Advogad@s

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *